segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

OS TIPOS DE TOMADA DE DECISÕES


Este texto foi elaborado com o propósito de chamar a atenção do leitor  para o processo natural  de  tomada de decisões e como as decisões  nos aproximam ou nos afastam dos  nossos sonhos e objetivos de Vida.
Ao terminar a leitura do artigo você  vai perceber que tomando a decisão acertada, sua vida muda de rumo num segundo.
São cinco os tipos de decisão mais comum  que podemos tomar em na vida, no o dia a dia e algumas delas,  certamente, não seriam tomadas se fosse possível  estudar a situação, analisar os prós e contras e ainda avaliar possíveis consequências. Vamos lá, então:
 1. DECISÕES TOMADAS POR INSTINTO
São decisões  que independem da vontade, são inata. Como o respirar. Ninguém ensina a respirar, funciona naturalmente. Fazem parte da nossa natureza.  Por exemplo, diante de um barulho forte e inesperado, a pessoa tem  a iniciativa de se proteger instintivamente, mesmo que não haja nenhum perigo iminente. Ou se presencia a queda de um objeto, também instintivamente tenta segurá-lo.
Assim também, em no cotidiano, em casa, no trabalho e em qualquer outro ambiente, decisões são tomadas por instinto: algumas boas outras nem tanto.
2. DECISÕES BASEADAS NAS CRENÇAS SUBCONSCIENTES
São decisões que decorrem de impressões subconscientes. De certo modo, são parecidas com as decisões por instinto,  também baseadas no reflexo, mas aqui já não são inatas, não nascem com a pessoa . São baseadas em crenças acumuladas ao longo da vida  e são resultado das  experiências.
Essas decisões refletem geralmente sentimentos de incapacidade quando a pessoa afirma simplesmente que não vai conseguir ou sentimentos de supervalorização nos quais a pessoa se julga mais capaz ou superior às outras pessoas.
Para citar um exemplo, num ambiente de trabalho quando se recebe uma tarefa sobre a qual já há alguma resistência, simplesmente afirma: " não vai dar tempo", não é possível fazer", etc.
Tal como as decisões instintivas, também são tomadas sem pensar e não as controlamos. Decorrem de sentimentos adquiridos e guardados no nosso subconsciente, através das experiências de vida.
3. DECISÕES BASEADAS NAS CRENÇAS CONSCIENTES
Este é o tipo de decisão mais sério, pois aqui há  tempo para pensar no que se  quer ou não. Pode ser feita  análise da situação. Pensar, ponderar e pedir  opiniões diversas de  outras pessoas. Pode-se  investigar. E aí tomar a decisão.
A dificuldade dessas decisões é que dificilmente  se avalia e julga de forma diferente das influências que o ambiente nos torna expostos. Ao fazer as análises situacionais geralmente são levados  em conta os agentes ao redor, com todo os poderes de influência que esses agentes  exercem. Se  quer tomar uma decisão a qual  leve a  resultados diferentes, deve-se apoia-la em  outros agentes que não aqueles aos quais já estamos acostumados .   Tem-se que, primeiramente , avaliar as crenças limitantes . É  preciso então,  tomar uma decisão que não seja baseada apenas nas crenças pessoais e no circulo de influência .
A sugestão é manter conversas e ouvir outras pessoas a respeito do assunto em questão e avaliar outras situações semelhantes, etc.
Se as consultas forem feitas com as pessoas do mesmo círculo de influência, significa então que terá  os mesmos elementos paradigmas  isso não irá ajudar muito. Levará, certamente,  as mesmas conclusões e as mesmas decisões .
4. DECISÕES BASEADAS EM VALORES
Essas decisões são conscientes e transcende as crenças. São  apoiadas em  valores pessoais, familiares, morais, etc. Naquilo que é importante para a pessoa.
Vou dar uma dica:  para perceber se a decisão a ser tomada  é a melhor para você, deve se fazer esta pergunta:
“Esta decisão que vou  tomar vai ao encontro do que quero para minha vida? Está de acordo com os meus valores e com aquilo em que acredito?”
Se a resposta for sim, vai ajudar a caminhar na direção dos seus sonhos; do seu objetivo de vida. Todos nós temos as nossas próprias verdades. São decisões baseadas na nossa autenticidade, na nossa integridade. As pessoas que estão aqui são pessoas que procuram coisas diferentes.
5. DECISÕES BASEADAS NA INTUIÇÃO
Nós estamos ligados a algo maior. Vivemos neste plano mas estamos ligados a algo maior. Um algo em que acreditamos. Deus, uma Força Superior, o Universo ou o que quer que seja em que acredita.
A intuição é o que nos ajuda a comunicar com o que nos transcende. É de onde viemos e para onde vamos voltar.
Quando tomamos decisões baseadas na intuição, são decisões que abrangem o conhecimento geral. As decisões baseadas na intuição geralmente são as mais acertadas. O problema maior é que não estamos acostumados a ouvir nossa intuição – o eu interior .
Concluindo, nas decisões por instinto e subconscientes, agimos sem pensar. Não controlamos as nossas decisões. Depois com o pensamento, decidimos baseados em crenças conscientes. Depois as decisões baseadas em valores. E depois as decisões baseadas em intuição, as mais importantes. O  desenvolvimento pessoal, onde se tem a intuição mais aguçada, permite tomar as melhores decisões e as mais acertadas.

Penso que neste momento já é possível perceber  porque algumas decisões tomadas não deram os resultados que esperados e outras deram.