segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO

Dois temas têm ocupado a atenção de muitos articulistas e revistas especializadas em administração. Também algumas escolas de administração de nível superior e técnico têm trabalhado o assunto em seminários, workshops e publicações. Refiro-me a Criatividade e Inovação. Já vi artigos, inclusive, que responsabilizavam o corpo gerencial da empresa e seus colaboradores  pela falta de criatividade e inovação nas ações do cotidiano.
Mas você já se perguntou o que é criatividade? Pode-se aprender criatividade nas escolas? E Inovação, o que é?
Pois bem! Eu estava observando um menino de exatos 4 anos de idade brincando, sozinho em seu quarto,  com  os seus personagens imaginários.
Esse menino separou para seu momento de brincadeira: um Forte Apache, brinquedo interessante que relembra os filmes americanos de bang-bang; Um Autopista, também brinquedo interessante que tem um motorzinho que lança alguns carrinhos em velocidade pelas pistas de corrida; alguns bonequinhos e bichinhos de playmobil.
Com esses brinquedos, o pequeno garoto construiu sua brincadeira,  que não tinha mais nada a ver com o Forte Apache ou Autopista, menos ainda com o Playmobil. Juntando partes desses brinquedos ele imaginou construir uma fábrica, onde os bonequinhos entravam para trabalhar e saiam. Ao redor da fábrica ele dispôs os animais. E ele conversava, discutia, comandava a figuras com as quais estava interagindo, muito entretido e compenetrado. Perguntei então sobre a presença dos animais (bichinhos) e ele me disse  o seguinte:  eles estavam pastando ao redor da fábrica para garantir que não haveria poluição saindo da fábrica. Fiquei surpreso e feliz com a resposta do menino.
Conclui então que aquilo  era criatividade e inovação.
“Criatividade, de acordo com a experimentação e exemplo do menino é o produto de seu mundo imaginário.” Pode ser um projeto, uma peça mecânica, um serviço, ou etc, você imagina o seu resultado esperado e cria os mecanismos para alcançá-lo. “Inovação é fazer algo conhecido de modo diferente, inovado”.
Como o garotinho fez! Tomou partes de algumas brincadeiras e construiu uma nova brincadeira, com a qual interagiu, criou diálogos, simulou cenas e desfechos de situações. Esse menino agiu com criatividade e inovação.
Alguma dúvida?
Nielsen Freire da Silva