sexta-feira, 4 de março de 2016

GESTÃO ESTRATÉGICA: Não repita os erros de 2015


Como anda o desempenho da sua equipe? E a produtividade? Estão melhores ou piores do que no ano passado? Se piores, o que você tem feito de diferente para reverter o quadro? E, se melhores, o que você fez para aperfeiçoá-lo? No último mês do ano, a maioria dos gestores torce para que 2015 acabe o quanto antes e a virada do ano traga projeções “milagrosas” para o negócio. Porém, de nada adianta esperar 2016 para um milagre acontecer. É necessário ter os pés no chão e proteger sua empresa de uma possível piora no cenário econômico do país. Então comece agora seu planejamento para aperfeiçoar a gestão estratégica da sua empresa. Para te ajudar nesta tarefa, selecionamos cinco dicas para fazer 2016 acontecer:

 1. Tenha uma visão estratégica

O gestor de 2016 não olha apenas à sua volta, mas para o mundo. Com isso, percebe as tendências do mercado e busca informações com clientes, colaboradores e concorrentes para aperfeiçoar suas estratégias. E, principalmente, não olha somente para os clientes, mas através dos olhos dos clientes. Quem estabelece uma visão estratégica com a sua equipe cria uma rotina que permite viver o futuro no presente. Além de conseguir antecipar tendências, percebe oportunidades e sabe como aproveitar as oportunidades de negócio.

2. Seja mais produtivo e estabeleça metas

Nunca se esqueça de que você é o porto seguro, a força, da sua equipe. Em vez de ficar girando sem sair do lugar, simplifique processos para ser mais produtivo – delegue mais para ter tempo de focar no que realmente faz a diferença: a estratégia que falei no item anterior.  É seu compromisso estabelecer metas para fazer com que 2016 aconteça. Todas as metas devem ser específicas, como obter novos clientes, ou determinar um goal para um período – ganhar três novos clientes até fevereiro, por exemplo.  E lembre-se de estabelecer metas possíveis de atingir. Se você apontar para o alto, pode estar dando um tiro no pé logo no início do planejamento do ano. Nenhuma equipe se motiva quando não consegue enxergar os resultados de seus esforços.

3. Faça uma análise da equipe

Analise a capacidade de produção de cada colaborador e use isso em favor do negócio, traçando um plano para sua equipe ser mais produtiva. Exemplo: investir na formação e na qualificação dos colaboradores em cursos e workshops. Dessa maneira, o profissional se sente apoiado pela empresa na qual atua e ganha ainda mais motivação para defender os ideais do negócio e alcançar as metas estabelecidas. Ofereça planos de carreira e salários mais elevados para os profissionais que se destacaram no ano anterior. Assim você criará um ambiente no qual o colaborador se sente valorizado e parte do futuro da organização.

4. Foque em melhorar a comunicação e o relacionamento com sua equipe

Quando as pessoas percebem que o líder não é capaz de se comunicar com os demais, certamente a confiança com sua equipe é abalada. Saber articular as informações e envolver os colaboradores em torno dos objetivos da empresa é uma das habilidades principais dos gestores do futuro. Portanto, em 2016, dê suporte para sua equipe e valorize o esforço de cada colaborador, mas combata o exibicionismo. As tentativas de mostrar-se eficiente, querendo “aparecer” demais, geralmente contaminam os demais e levam a uma competitividade desleal. Em qualquer empresa, você pode ter excelentes profissionais, mas o que os leva a compartilhar ideias e preocupações, contribuir e avisar o grupo sobre os riscos é sua boa conexão uns com os outros.

5. Não abra mão da inovação:

Segundo Steve Jobs “Inovação distingue o líder de um seguidor”. Portanto, a criação de novos modelos de negócios, novas formas de atender necessidades dos consumidores, novos processos organizacionais, é muito mais do que desenvolvimento de novas tecnologias, produtos e serviços: é melhorar e aprimorar o que você já faz. A inovação é essencial para a sobrevivência de uma empresa em um cenário cada vez mais competitivo e globalizado. Mas poucos líderes tomam algum tipo de iniciativa para colocá-la em prática. Entre muitos motivos, eles ainda têm uma visão ultrapassada e o desconhecimento de ferramentas, por exemplo, que podem ajudar no processo. (Runrun.it)