sábado, 12 de janeiro de 2013

SUSTENTABILIDADE DA MÉDIA E PEQUENA EMPRESA



 As rotinas diárias das médias e  pequenas empresas  não permitem que se perceba  a importância competitiva da sustentabilidade para os  negócios.
Muitas destas empresas travam uma luta ferrenha para não fecharem as portas e por isso,  dificilmente se preocuparão com a sustentabilidade,  se não forem estimuladas a perceber os benefícios desta mudança.
Tornar sustentável uma média e pequena empresa pode trazer lucratividade, redução dos custos, melhoria na competitividade e diferenciação perante à concorrência,   com pequeno valor investido . Tornar sustentável a empresa vai além de enxergar as ações de sustentabilidade como oportunidades de crescimento.
Os gestores interessados em alcançar a sustentabilidade da sua empresa, devem seguir os princípios fundamentais.
 •    Cadeia de valor: escolha das parcerias pautando-se nas práticas sustentáveis é uma forma  de ingressar em um ciclo de melhoria contínua para todos os componentes da cadeia de valor.
•    Cultura: a sustentabilidade deve ser percebida no dia a dia da empresa e fazer  parte dos valores e princípios da organização;
•    Engajamento: o universo de acionistas, funcionários, fornecedores e comunidade  deve ser o primeiro a ser impactado com a causa da média e pequena empresa;
•    Governança: nas médias e pequenas empresas,  a estrutura de tomada de decisão é mais enxuta. Em vista disso, o gestor, além de saber atribuir tarefas e cobrar resultados, deve se reunir com a equipe constantemente para comunicar desempenho e ouvir  dela as opiniões  e sentimentos dos colaboradores.
·         Horizontalidade: As ações devem ser transversais, envolvendo todas as áreas e de diferentes formas. Não haverá  sustentabilidade ligada apenas a uma área da empresa.

·          Institucionalidade: Os objetivos, as metas, os regulamentos , os  critérios de avaliação de desempenho, etc  devem ser claros e do conhecimento de todos os colaboradores;
•    Verticalidade: O gestor deve ser o exemplo, adotando uma conduta ética e responsável; estabelecendo diretrizes sem focar na hierarquia, mas na proximidade com a equipe;

Com  esses princípios estabelecidos, a  média e pequena empresa precisarão  ainda passar por cinco etapas para tornar-se efetivamente sustentável:

•    Formalização. O governo dá todas as condições para o médio e pequeno empresário sair da informalidade. É imprescindível estar em dia com as questões legais, fiscais, tributárias, trabalhistas e sindicais, sem o que é impossível que a empresa se torne sustentável;

•    Educação Interna: Preparar os funcionários para a implantação das novas práticas. “Reuniões, palestras educativas, envio de referências e fontes de consultas, ajudam nesse processo”;

•    Cesta de indicadores para os funcionários: no caso da média e pequena empresa, é preciso escolher quais indicadores poderão ser adaptados à realidade da organização (indicadores de desempenho, de qualidade, financeiros, de produtividade, e etc);

•    Estabelecimento de metas: O crescimento sustentável da empresa depende do estabelecimento claro das atribuições de cada participante e de prazos para controle e avaliação. A definição de metas individuais e coletivas é imprescindível.

•    Avaliação constante: cada parte da organização deve cumprir o seu papel para o estabelecimento de um ciclo sustentável permanente.
Façamos do ano de 2013, o Ano da Sustentabilidade da Média e Pequena Empresa no país.
Nielsen Freire da Silva./Jan/2013